20/11/2018

Golpe de Black Friday oferece cartões de crédito premium para roubar seus dados

Nas vésperas da época mais esperada pelos varejistas, um ataque disseminado via posts patrocinados em redes sociais chama a atenção de muitos usuários: a postagem promete acesso a um cartão de crédito Black, com anuidade baixa, sem consulta aos sistemas de crédito, entre outros benefícios. Os usuários que acreditaram na oferta tornaram-se vítimas, pois não só perderam dinheiro como também deram seus dados pessoais aos criminosos – que podem usar esses dados em outros golpes.

Entre os supostos benefícios do cartão estão a baixa anuidade (R$ 34,99), 5 pontos por dólar gasto, além do fato de não ser preciso a consulta no sistema de crédito para a emissão do cartão. Ao completar o cadastro, pedia-se nome, endereço, conta de e-mail, CPF e outros dados pessoais, após isso era gerado um boleto no valor de R$ 34,99, referente a suposta anuidade.

Os criminosos registaram os seguintes domínios: brasilblackcard.com.br, brasilblack.com e premiumcardblack.com, sendo que um dos domínios foi registrado em nome de pessoa física. Outro fator importante neste golpe é que todos os sites falsos exibiam certificados digitais e conexões HTTPS.

“Este golpe se diferenciou dos muitos outros que encontramos nas vésperas da Black Friday pelo seu excelente design, páginas bem desenhadas, com textos sem erros gramaticais – levando a pensar que realmente a oferta era verdadeira. Mas os registros dos sites usando o nome de pessoas físicas são indicativos de que os phishers brasileiros ainda precisam melhorar suas estratégias”, afirma Fabio Assolini, analista sênior de segurança da Kaspersky Lab.

Para não se tornar vítima de golpes durante esta época, os especialistas da Kaspersky Lab recomendam aos usuários:

  • Não clique em links desconhecidos. Alguns links, mesmo os recebidos por amigos e familiares, podem ser maliciosos. Ao clicar, podem baixar malware em seu dispositivo ou direcioná-lo para páginas de phishing que coletam dados pessoais;
  • Verifique quem é o dono do site. Encontrou um site desconhecido com ofertas tentadoras? Antes de comprar, consulte a lista do PROCON e também o Registro.br, na sessão “Whois“, que informa quem registrou o site. Golpistas geralmente usam endereços de e-mail gratuitos para registrar o domínio (Hotmail, Gmail, etc);
  • Desconfie de mensagens SMS e anúncios no Facebook. Essa é a mais nova modalidade dos golpistas, que têm usado especialmente as redes sociais para disseminar o golpe;
  • Não faça transações comerciais ou bancárias online enquanto estiver conectado a uma rede Wi-Fi pública;
  • Instale em seu dispositivo uma solução de segurança que tenha tecnologias integradas para evitar fraudes financeiras.

Fonte: Kaspersky Lab
29/08/2018

A EMC Completa 32 Anos de Conquistas!

Ao completar mais um ano de vida, temos a certeza do dever cumprido, com novas experiências e ótimos momentos vividos.

É com muita alegria e orgulho que celebramos mais um ano de existência e sucesso. Manter-se em um mercado competitivo e conseguir crescer é uma grande conquista que só se torna possível graças ao empenho e dedicação de toda a equipe.

Por isso, hoje é dia de agradecer e parabenizar a cada um dos nossos colaboradores que dedicam horas de suas vidas para desempenharem exemplarmente as suas funções!

O sucesso de uma empresa não acontece por acaso ou por sorte, acontece porque há profissionais competentes e talentosos que aceitam o desafio de superar os obstáculos e lutar para serem cada dia melhores.

Parabéns a todos os profissionais que fazem parte deste sucesso. Que o empenho de todos continue trazendo bons resultados a todos nós!

Fonte: EMC Computadores
04/07/2018

Como a tecnologia pode revolucionar o mundo

A quarta revolução industrial é um dos termos da atualidade mais propagados em eventos de negócios. Nela, tecnologias como Inteligência Artificial (IA), Big Data e Analytics, estão em constante evolução e prometem reinventar diversas áreas e setores.

Essa revolução promete automatizar processos por meio da consolidação e análise de informações; gerar novos insights para a melhor compreensão de situações e momentos para garantir uma tomada de decisões mais rápida e assertiva; e promover o engajamento cognitivo que visa promover maior resolução de todo o tipo de tarefas e situações.

Com isso, essas ferramentas inovadoras ganham, cada vez mais, visibilidade e investimento. Conforme levantamento realizado pela Statista, empresa que reúne estatísticas de diversos mercados, a IA movimenta, atualmente, US$ 2,4 bi. Porém, para 2025, a expectativa é de que esse valor supere os US$ 60 bi, fazendo desse um dos principais setores para a transformação dos negócios no mundo digital.

Se hoje, as companhias inovadoras já criam soluções com o uso da computação cognitiva, como carros autônomos, softwares que auxiliam médicos na identificação de células cancerígenas, robôs que auxiliam na organização de empresas e até auxiliam nos cuidados de pacientes em estados terminais, a tendência é de que, no futuro, a automatização de processos transforme as atividades rotineiras de diversas empresas, que historicamente encontram barreiras para a realização de tarefas que deveriam ser simples.

Ao contrário do que se imagina, não é mais futuro, é uma realidade. Hoje, esse tipo de tecnologia já está tão presente no cotidiano das pessoas, que elas já não conseguem mais notar a inovação, mas sim, seus benefícios. Ao realizar uma pesquisa na internet, por exemplo, caso ocorra algum erro ortográfico, o próprio buscador questiona se a intenção do usuário não era outra.

O próximo passo dessa jornada evolutiva é a popularização dessas tecnologias e a garantia de uma disponibilidade cada vez maior. Como já dizia o escritor américo-canadense William Ford Gibson: “como eu tenho dito muitas vezes, o futuro já chegou. Só não está uniformemente distribuído”.

Fonte: Correio do Estado
30/05/2018

HTTPS não quer dizer segurança

Sejamos honestos, quando a maioria das pessoas veem um cadeado verde com a palavra seguro à esquerda de uma URL, pensam que realmente estão em um ambiente protegido. O mesmo vale para “esse site usa uma conexão segura” ou URLs que começam com as letras “https”. Cada vez mais sites passam para HTTPSL. A maioria não tem escolha. Mas afinal, qual o problema? Quanto mais medidas de segurança melhor, não é mesmo?

Estamos prestes a revelar um pequeno segredo: aqueles símbolos de “segurança” não garantem que um site é seguro. Um site de phishing, por exemplo, pode de forma legítima exibir esse cadeado verde reconfortante ao lado do endereço https. Então o que está acontecendo? Vamos descobrir.

  • Conexão segura não significa um site seguro

O cadeado verde significa que o site recebeu um certificado e que um par de senhas criptografadas foram geradas. Esses sites criptografam a informação transmitida entre você e a página. Nesse caso, a URL começa com HTTPS, com o último “S” significando “Seguro”.

Claro, dados transmitidos criptografados são ótimas premissas. Significam que a informação trocada entre seu navegador e o site não está ao alcance de terceiros – provedores, administradores de rede, cibercriminosos, entre outros. Isso permite a inserção de senhas e detalhes de cartão de crédito sem olhos curiosos.

O problema é que cadeados verdes e os certificados não dizem nada sobre o site em si. Uma página de phishing pode simplesmente obter esse certificado e criptografar todo o fluxo com você.

De forma simples, o cadeado simplesmente garante que ninguém mais pode espionar os dados inseridos. No entanto, sua senha ainda pode ser roubada pelo site, caso seja falso.

Phishers usam e abusam disso: de acordo com a Phishlabs, um quarto dos ataques desse tipo são executados por sites HTTPS (há dois anos, eram menos de 1%). Além disso, mais de 80% dos usuários acreditam que a mera presença do símbolo significa que o site é seguro, o que os leva a não pensar duas vezes antes de inserir seus dados.

  • Como não cair em uma armadilha?

Para resumir, a presença do certificado e do cadeado verde significam apenas que a transmissão entre você e o site está criptografada, e o certificado foi emitido por uma autoridade confiável. Entretanto, isso não previne que sites HTTPS sejam maliciosos, fato que pode ser facilmente manipulado por cibercriminosos.

Portanto, fique ligado, não importa se a primeira impressão sobre o site parece segura:

  1. Nunca digite informações de login, senhas, credenciais bancárias, ou outra informação pessoal em sites sobre os quais você não tem certeza acerca da autenticidade. Para isso, verifique o nome do domínio – e com bastante cautela. Os nomes de sites falsos podem diferir do original, até mesmo por apenas simples letra. Certifique-se que links são confiáveis antes de clicar.
  2. Sempre leve em conta o que um site em particular oferece, caso pareça suspeito e se você realmente precisa se registrar.
  3. Garanta a proteção de seus dispositivos com antivírus eficaz: o Kaspersky Internet Security verifica URLs com base em extensa lista de sites de phishing e detecta golpes independentemente do quão “seguro” determinado recurso pareça.

Fonte: Kaspersky Blog
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10    >

Procurar Notícias